O QUE NÃO VAI ENTRAR NO DOC.

Eu e Marco Antonio Nascimento ouvindo as histórias do Seu Djalma. (Foto: Marcelo Dias)

Eu e Marco Antonio Nascimento ouvindo as histórias do Seu Djalma. (Foto: Marcelo Dias)

O trecho da entrevista, feita na penitenciária da Trindade, é com o Seu Djalma, carcereiro “das antigas” que trabalhou um tempo na Colônia Penal:

“Era um pessoal mais de colono, não é o pessoal como agora… que é essa maconha… essas coisas. Naquele tempo era tudo preso criminoso, preso que matava, naquele tempo era bem fácil.
Morava eu, morava o tal de Hercílio, que hoje está posto em liberdade, aquele aí matou seis. Aquele Hercílio. Hoje é motorista da Transol.”

Pois é, antes de discutir com algum motorista velhinho no trânsito aqui da Ilha, caro leitor, lembre-se desta história. Que convenhamos, é de matar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: