O DIRETOR DE FOTOGRAFIA

27 de janeiro de 2009
O responsável pela fotografia de AUDÁCIA, Marco Antonio Nascimento.

O responsável pela fotografia de AUDÁCIA, Marco Antonio Nascimento.

Quando se dirige um documentário é necessário ter uma cumplicidade muito grande com o Diretor de Fotografia. É com ele que se constrói um jogo explícito. Que é aquele momento onde a gente sabe e sente que o outro está sendo fotografado, é esta consciência que modifica comportamentos. Nós temos sempre que estar alerta a performance de nossos personagens, sob pena de dar vazão a um discurso ou a posições que transpareçam a algo falso. Trabalhar com Marco Antonio Nascimento foi muito importante para o resultado de AUDÁCIA, não só sob uma perspectiva estética: artística mesmo, mas foi antes de qualquer coisa, uma convivência serena e rica na troca de experiências. Dividir responsabilidades no Set às vezes implica respeitar e receber sugestões, que pela rapidez do processo, são avaliadas e tomadas prontamente. Isto envolve confiança e uma parceria que se estabelece de forma franca e direta.

dsc_299712009_1501canonvelhobruxo-08212009_1401canonvelhobruxo-1391img_550512009_1501canonvelhobruxo-1483
(Fotos: Velho Bruxo, Celso Martins e Marcelo Mariano Dias).

“O OLHO DO HOMEM SERVE DE FOTOGRAFIA AO INVISÍVEL, COMO O OUVIDO SERVE DE ECO AO SILÊNCIO”.

MACHADO DE ASSIS


UMA MUSA NO SET

24 de janeiro de 2009
Segundo a mitologia grega, as musas eram, originalmente, divindades que passaram a inspirar a poesia e a música. Já as modernas, nos socorrem, dando sorte e guiando enquadramentos de câmeras HDV de última geração.
(Fotos: Marcelo Mariano Dias)
Anita, filha de Margaret Grando e Celso Martins, musa do nosso blog.

Anita, filha de Margaret Grando e Celso Martins, musa do nosso blog.

img_54352


VIGILANTES E VIGIADOS

24 de janeiro de 2009

img_52742Os planos de AUDÁCIA sobre os espaços e personagens da prisão de Florianópolis foram realizados mantendo a maior autenticidade possível. Enfrentei condições rígidas de trabalho.
Cadeia, calabouço, cana, cárcere, gaiola, masmorra, presídio, xadrez e xilindró. Geometrias de punição criadas para manter e controlar o medo da morte, da loucura e da solidão. Foi um dia inteiro permanecendo nesses recintos, experimentando os sons, a rotina, a comida e observando a solidariedade, o movimento e a segurança de homens que trabalham junto a presos que não tem nada a perder. Meu interesse era a fala de antigos carcereiros. Assim, fui colhendo relatos, alguns de uma franqueza impressionante. No decorrer das captações, um embate cru, de surpresas e descobertas inesperadas.
A magia da realização de um documentário que está tomando forma.
(Fotos: Marcelo Mariano Dias)
img_52901img_52971img_52961


19 de janeiro de 2009

dsc_17951

Flagrado por Celso Martins, … enquanto reflito sobre os depoimentos.


LIÇÕES DE AREIA E VENTO

19 de janeiro de 2009

img_51692

2009_1201canonvelhobruxo-248

Existem histórias que tentamos reproduzir que não cabem em estúdios. Histórias que não podem ser contadas em espaços pré-definidos. Entendê-las exige, além do olhar atento do espectador, uma atenção a fala guardada, que aclara ao ser entregue no seu tempo. Coisas que nunca percorreram o mesmo espaço. Um momento esperado por quem as revela.

Celso Martins

O Velho Bruxo, autor das imagens. Fotografado por Celso Martins.

 


QUARTO DIA

16 de janeiro de 2009

Hoje cheguei tarde e cansado. Vou ficar devendo o registro do dia. Amanhã me preparo para ir a Joinville. Acho que irei juntar todas as impressões em um só pacote. Montes de textos e imagens.

Até lá.


TERCEIRO DIA

15 de janeiro de 2009
Depoimento de Rosemarie Cardoso

Depoimento de Rosemarie Cardoso

Depoimento de Marize Lipell
Depoimento de Marize Lipell

A emoção começa a tomar conta do Set. Hoje, ouvi declarações de mulheres que participaram ativamente da vida política de Santa Catarina. Margaret Grando me prendeu com um discurso franco. Uma visão articulada de um contexto pouco conhecido é logo atado por Marize Lipell e ainda, Rosemarie Cardoso narra as prisões femininas (pouco conhecidas) na Operação Barriga Verde, em 1975. Vocês irão sentir orgulho em defrontar-se com estas vivências: aventuras e fatos extraordinários levados por vozes e olhares sinceros. Mulheres de nosso Estado. (As fotos são do Velho Bruxo).